O que esperar da exposição Immersive Van Gogh em Toronto

Quando a exposição foi anunciada, no início do ano, ninguém tinha idéia do que vinha por aí.

Comprei meu ingresso, veio a pandemia, todos os eventos foram cancelados, e eu achei que a exposição seria cancelada de vez. Mas eles seguiram as recomendações de segurança estabelecidas pelo governo, e eu consegui marcar minha visita. Vale dizer que essa foi a primeira vez que fiz um programa em ambiente fechado depois da pandemia.

Eu não sabia o que esperar quando fui, não tinha feito nenhum tipo de pesquisa antes. Achei tudo bem organizado, também não estava cheio (talvez pelo dia/horário que fui – domingo, no meio do feriadão, às 10:00). A exposição tem lugar num espaço histórico, que abrigava as impressoras do Toronto Star, no 1 Yonge St., achei muito legal.

A Exposição:

Algumas obras de Van Gogh foram aumentadas e animadas, como um filme, sendo projetadas tanto nas paredes quanto no chão, por isso é chamada Immersive.

São 35 minutos de exposição, e se você chegar atrasado, pode ficar no local e assistir ao início. No local, círculos no chão marcam o distanciamento, e no meio do espaço tem uma plataforma pra quem quiser ver tudo isso do alto (mas só pode ficar 5 minutos).

Na saída, uma lojinha com vários produtos (camisetas, capinha de celular, imãs, livros, cartões Postais…

Uma outra forma de participar da exposição é fazer uma aula de Yoga dentro dela, na Barre Flow and Yoga Classes.

Os ingressos custam a partir de C$39.00 por pessoa na versão “Walk-Thru”.

A exposição também ter a versão “Drive-In”, que fica no mesmo prédio, mas a entrada é pela Freeland St, do lado leste do prédio, na parte de cargas/entregas. As pinturas/animação/músicas são as mesmas, mas tudo sem sair do carro, e o uso de máscaras é obrigatório. Os ingressos custam a partir de C$99.00 por carro.

No site, eles também avisam que a exposição pode afetar visitantes que são suscetíveis à epilepsia fotossensível, assim como quem é sensível às luzes em movimento.

A exposição vai até 3 de Janeiro.

A minha opinião:

Crianças com menos de 5 anos entram de graça com um adulto pagante, mas eu não recomendo para os muito pequenos. Até vi um casal com um bebê, mas fiquei com pena da criança, que pro fim da exposição já estava chorando. Na verdade, quando comprei meu ingresso, até pensei em levar minha filha, mas no dia desisti, e acho que foi ótimo. A música é bem alta, o local escuro, e ficar em pé ou sentado no chão por 35 minutos olhando as pinturas animadas nas paredes não me soam como um programa para criança.

Também confesso que essa não é muito a minha praia, mas quis conferir exatamente por ser uma coisa bem diferente do que eu costumo fazer. Na minha humilde opinião: um programa diferente, valeu como experiência, mas eu não faria uma segunda vez. A música é muito alta (ponto negativo, já que me considero uma anciã), a animação bacana e o fato das imagens serem projetadas no espaço inteiro faz a experiência ser única, mas não o suficiente para me tirar de casa pra assistir novamente. Achei o preço do ingresso bem salgado, além de ter que pagar C$20.00 de estacionamento (Até tinha estacionamento na rua do lado, mas só pra quem tem permit). Mas essa é a minha opinião, acho que tudo é uma questão de gosto, e se o dinheiro não é problema, vale como uma experiência diferente.

You may also like...

Leave a Reply

%d bloggers like this: