10 “viagens internacionais” sem sair de Toronto

Que Toronto é multicultural, todo mundo sabe, e é fácil entender o porquê.

Toronto é a maior cidade do Canadá, com mais de 2 milhões de habitantes (segundo o censo de 2016), ou mais de 6 milhões se contar toda a GTA, sendo 46% da população constituída por imigrantes. Mais de 180 língua e dialetos são falados na cidade, e é incrível ver como todas essas culturas se entrelaçam, se complementam e formam esse grande mosaico que é Toronto.

É incrível poder “viajar internacionalmente” sem sair da cidade.

Aqui eu falo sobre 10 bairros étnicos de Toronto:

1. Chinatown

Como toda cidade grande, Toronto tem sua Chinatown. Aliás, não apenas uma, mas 3 (ou 6 se contar toda GTA). A mais conhecida fica centralizada no cruzamento da Spadina Ave com Dundas W. Na verdade, ela começou a tomar forma nos anos 50, quando a primeira Chinatown de Toronto foi desapropriada pelo governo para a construção do City Hall.


Mas não pense que você vai encontrar uma Chinatown para turistas. Ali você encontra desde roupas e artigos para casa, até mercados com barracas nas calçadas e uma variedade imensa de temperos, frutas, aromas, cores e formas. Aliás, o que não falta ali são opções de restaurantes. Comida chinesa, japonesa, vietnamita… mas o que chama a atenção, na minha opinião, são os patos laqueados nas vitrines de alguns restaurantes.
Para compras de souvenir, existem várias lojas ao longo da Spadina, e para artigos eletrônicos, o Dragon City Mall.
As outras duas Chinatowns de Toronto ficam do lado leste da cidade, na Gerrard St E. com Broadview e a outra em Scarborough.

 

2. Greektown

Localizada na Danforth Ave, entre a Chester Ave e Dewhurst Boulevard, essa foi uma das principais áreas de assentamento da imigração grega na década de 60, inclusive sendo considerada a maior Greektown da América do Norte em 70 e 80.

É ali também que acontece o “Taste of the Danforth” um festival anual (sempre em Agosto) que celebra a culinária e a cultura gregas, e atrai milhares de pessoas.

3. Koreantown

A Koreantown de Toronto fica na Bloor W, da Bathurst até a Christie, e começou a tomar forma na década de 60, com comércios, restaurantes, Igrejas e karaokês.

É ali que fica o Poop Cafe (um café todo decorado no tema “cocô”) e o Pat Mart – primeiro mercado koreano de Toronto.

Mas também temos a Koreatown North, que é um trecho da Yonge St, entre a Sheppard e a Finch, em Willowdale, que vem se tornando conhecida por sua população coreana.

 

4. Little Italy

Na década de 20, a “Little Italy” na College Street ficou conhecida como centro residencial e comercial da comunidade italiana de Toronto.

Com as famílias italianas se mudando de Little Italy, famílias portuguesas, chinesas, vietnamitas e espanholas se mudaram para lá, que hoje é considerado um dos lugares mais multiculturais de Toronto.

O bairro conta com vários restaurantes italianos, padarias, cafés, mercados e lojas de moda europeia .

No norte na St. Clair W., entre a Westmount Ave e a Lansdowne Ave, fica o Corso Italia, com vários mercados, cafés, sorveterias e lojas de roupas e calçados.

 

5. Little Portugal

Little Portugal, ou Portugal Village, é uma área do lado oeste da cidade, e tem como limites: a Lansdowne Ave ao oeste, ao norte pela College St, a leste pela Bathurst St e ao sul pela Queen St W.

Mais de 50% da população nessa área é composta de portugueses ou descendência portuguesa, e é ali também que existe uma grande concentração de brasileiros.

A área tem muitas lojas e empresas portuguesas ao longo da Dundas Street West e College Street, e é um paraíso para os food lovers: restaurantes, cafés, bares, mercados…

 

 

 

6. Little India

Little India (ou Gerrard India Bazaar) fica na Gerard St, entre a Greenwood e a Coxwell, e ali você encontra mais de 100 lojas e restaurantes. Muitas lojas vendem artigos de decoração, joalherias, e as lojas de roupas e tecidos, que chamam a atenção com seus coloridos.

A Little India de Toronto teve seu início na década de 70, quando um empresário comprou o Eastwood Theatre e começou a exibir filmes de Bollywood e do Paquistão, atraindo a comunidade para a área, que hoje é considerada o maior mercado do sul da Ásia na América do Norte.

7. Little Poland

Little Poland, hoje conhecida como Roncesvalles Village, uma área entre o High Park e a Roncesvalle Ave, é para quem procura iguarias do leste Europeu. Ali você encontra vários restaurantes e delicatessens que servem pierogies, linguiças, chucrute e sopas tradicionais.

Em setembro, a rua principal é fechada para o Roncesvalles Polish festival, e dá lugar a dançarinos, jogos, e muita comida para milhares de pessoas.

 

 

 

8. Little Tokio

Little Tokyo não é bem um bairro étnico, mas sim um pequeno trecho da Dundas W, entre Bay Street e University Avenue. Ali você encontra um número de restaurantes japoneses, como Japango para sushi e Uncle’s Tetsu Angel Cafe , que serve sobremesas japonesas.

9. Little Jamaica

Fica na Eglinton Ave W, entre a Marlee Ave e a Keele St, começou a se formar na década de 60, e é um dos maiores enclaves de jamaicanos expatriados do mundo.

A área tem várias empresas jamaicanas e caribenhas, entre outros, mas com a construção do metrô de superfície Eglinton Crosstown, o tráfego na área diminuiu muito, afetando muitos comerciantes. É estimado que 40 a 45 por cento das empresas fecharam ou mudaram de endereço desde o início da construção. A previsão é que a obra seja concluída em 2022.

Ao sul da Eglinton, a laneway ali é chamada oficialmente de “Reggae Lane” desde 2014.

10. Kensington Market

Agora, se você quer um lugar que tenha muitas culturas juntas e misturadas, seu lugar é o Kensington Market, entre a Dundas e a College St, ao oeste da Spadina.

No início dos anos 1900, muitos imigrantes judeus se estabeleceram ali, e a área ficou conhecida como “Jewish Market” , mas a partir da década de 1960, a área começou a hospedar imigrantes da Europa, Ásia, América Latina, Caribe… e obviamente são muitos os restaurantes, cafés, mercados e lojas de roupas.

No verão, partes das ruas Augusta St., Baldwin St. e Kensington Ave. ficam fechadas para carros, e viram um mercado ao ar livre, com música, dança e teatro. Geralmente acontece no último domingo do mês.

 

Incrível morar numa cidade onde você pode visitar vários países pegando o metrô 🙂

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: